Desde a última segunda-feira (09), os servidores do Ministério Publico da União estão com as atividades paralisadas. O movimento também recebeu adesão dos servidores da Procuradoria da República de Rio Verde.

Por volta das 13h desta terça-feira (10), será realizado um ato público em frente ao Ministério Público Federal, em Goiânia, no Park Lozandes, próximo à Prefeitura de Goiânia.

Com a greve, ficam paralisados os serviços do Ministério Público do Trabalho (MPT) e do Ministério Público Federal (MPF). Em assembleia geral realizada no início da tarde de ontem, a categoria decidiu manter as atividades de mobilização em Goiânia e enviar uma comitiva a Brasília, composta pelos integrantes do comando regional de greve, para participar da manifestação a ser realizada nesta terça-feira, em frente ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).

Os servidores alegam uma defasagem salarial na categoria, que, segundo eles, acontece há nove anos. Durante a assembleia, o comando regional de greve apresentou um quadro comparativo da defasagem salarial dos servidores do MPU em relação às outras carreiras do serviço público federal.

De acordo com os servidores, a maior diferença registrada refere-se à remuneração dos servidores do Senado Federal que chega a 150% a mais do que recebe atualmente um analista do MPU em início de carreira e, no caso dos técnicos, a diferença remuneratória inicial é ainda maior: 208%.

GREVES EM TODO O BRASIL

Ao todo, servidores do Ministério Público da União já aderiram a greve em 17 estados brasileiros. Ontem, o comando regional da greve em Goiás foi informado de que os servidores da Procuradoria da República de Rio Verde também aderiram ao movimento.

As manifestações que serão realizadas em Goiânia na tarde desta terça-feira contam com o apoio da CTB Goiás (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil); do SINT-IFES-GO (Sindicato dos Trabalhadores Técnicos-Administrativos em Educação as Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Goiás); do Sindsempu (Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Goiás).

FONTE: DM