Nesta quarta-feira (12), aconteceu a Coletiva de Imprensa com o Fórum em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado do Goiás, que são contra o reajuste de mais de 21% a partir do próximo mês na tabela do IPASGO. A Assego foi representada pelo Sgt BM Wesley, vice-presidente e diretor administrativo.

“Estamos aqui, representando todos os servidores públicos, para o mostrar que não vamos ficar quietos e tentaremos realizar outras medidas para reverter essa situação” relata o vice-presidente e diretor administrativo, Sgt BM Wesley.

Mesmo após insistentes solicitações dos 4 membros do Conselho Deliberativo do IPASGO (CDI) – que representam os servidores públicos – para que fossem detalhados os dados do cálculo atuarial que justificaria o reajuste, a matéria foi levada a votação pelo Presidente do IPASGO, Silvio Antônio Fernandes Filho sem a apresentação dos dados e aprovada por maioria apertada.

Entenda a situação

Foi aprovado na terça-feira, dia 11 de junho, por maioridade de votos do Conselho Deliberativo do Ipasgo, o reajuste de 21,56% na contribuição dos agregados do plano de saúde. Além dos agregados, referentes a familiares, o valor também será reajustado para os assinantes que pagam a cota mínima (piso) ou máxima (teto).

O reajuste já tem sido anunciado desde do final do mês passado, porém desde do dia 05 de junho que os humores se tornaram reais a respeito da mudança.

O Fórum de Entidades em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado do Goiás se posicionou imediatamente a favor dos servidores públicos procurando rever a situação.

Em nota ao jornal O Popular, a presidente do Sindsaúde e vice-presidente do CDI, Flaviana Alves declarou que “Nós, representantes dos servidores consideramos os dados bastante frágeis e tivemos um tempo muito curto para analisar os números. Agora vamos buscar medidas para tentarmos reverter essa decisão”.