Confira as orientações.

 

 

 

Na última semana (13), o Brasil começou a se preparar para a chegada em massa do novo vírus. A pandemia de coronavírus fez com que o Governo do Estado de Goiás e a Prefeitura de Goiânia trabalhassem juntos para pensar em uma forma de frear a ação do vírus. Em nível nacional, os cuidados orientados pelo Ministério da Saúde são, além da higiene e o mínimo contato, a quarenta.

 

O que é o Coronavírus?

O COVID-19, ou Coronavírus, teve seu primeiro caso no final do ano passado, na China e provocou mais de 3.000 mortes. Em poucos meses alcançou a Europa e posteriormente, o mundo. Com sintomas semelhantes ao da gripe, o vírus é um parente do causador da SARS (Sigla inglesa para síndrome respiratória aguda grave), por este motivo, possui maior risco para idosos, pessoas com asma, pressão alta e diabetes.

Os sintomas são:

 

 

Ao redor do globo, estão sendo desenvolvidas políticas públicas para salvar ao máximo a população dos perigos do novo vírus. Segundo o Ministério da Saúde, se cuidados básicos para conter o vírus não forem tomados, o número de infectados pode dobrar em poucos dias.

Para conter a infestação e superlotação dos hospitais, na última semana o Ministério da Saúde orientou os governos para que determinassem as quarentenas. Paralisações de, no mínimo, 15 dias. Tempo suficiente para que as pessoas que possam ter sido infectadas tenham o vírus manifestado e possam se dirigir aos hospitais. Onde, sem lotação, não há risco de transmissão por contato entre os infectados e os pacientes com outras enfermidades.

O objetivo central é evitar casos de transmissão comunitária (quando não se sabe a origem da contaminação), nas grandes cidades.

É tão grave assim?

A pergunta é compreensível. Quarentena, pandemia, o Brasil está vivendo um momento atípico e inédito neste século, porém os especialistas tranquilizam, “não há motivo para pânico”. Se aumentados os cuidados com a prevenção, os níveis de letalidade podem baixar e o grau de contágio reduzir. Para que isso aconteça é necessário consciência. Em nota oficial, a Organização Mundial da Saúde (World Health Organization) pede:

 

Porém, os Policias e Bombeiros Militares não podem parar. E agora?

Como todos sabem, os Policiais e Bombeiros Militares atuam como servidores abnegados, ou seja, colocam seus desejos e vontades de lado em prol do coletivo. Por essa razão, continuarão servindo e atuando normalmente para deixar nossas ruas e cidades ainda mais seguras. Mas, como eles podem se prevenir?

A regra é a mesma. O Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás orienta aos irmãos de farda cuidados e orientações para que todos possam atuar e servir com segurança:

 

 

 

Fechamento do Clube

Para te dar ainda mais proteção, a ASSEGO suspenderá suas atividades por 15 dias, assim como determinado pelo Ministério da Saúde.  Durante esse período o Clube Recreativo da ASSEGO estará fechado, mas o serviço administrativo seguirá ativo para o que o associado precisar.

 

Com cuidado e consciência podemos contornar essa situação.

Juntos somos fortes!

 

Para maiores informações, entre em contato: (62) 9 9246-9099 ou 3281-3177.