Em apoio no momento difícil passado pelo colega, grupo entrou em forma em homenagem à mãe do menino e viralizou na internet.

Daniel de Oliveira, de 13 anos. Imagem: reprodução/Tv Anhanguera.

Na última terça-feira (03), um vídeo em especial viralizou na internet, em Goiás. Em homenagem à mãe de um colega do grupo, a Guarda Mirim de Aparecida de Goiânia apareceu na casa de Daniel de Oliveira, de 13 anos, marchando.

Desde da perca da mãe, vítima de um aneurisma no último final de semana, Daniel não quis mais frequentar as atividades da Guarda Mirim. Percebendo a falta do rapaz, seus superiores resolveram ensinar uma valiosa lição de união e companheirismo aos pequenos cadetes, ao mesmo tempo que prestavam a devida solidariedade ao menino.

” [Estou] muito emocionado, todo mundo veio reunido, me apoiando depois do que aconteceu. Fiquei muito emocionado. Estou um me adaptando já, estou me recuperando um pouco mais. Voltar à luta, à guerra e seguir em frente”, relatou o menino com a surpresa.

A pleno pulmões, o grupo criou um “grito de guerra” especial para a ocasião. Confira:

“Oliveira aí, nós estamos aqui

É chegada a hora, sabia que íamos vir

Ôôô, viemos te buscar

Enxugue essas lágrimas e vá para o teu lugar

Mas pode ter certeza, mãezinha meu amor

Seu filho vai lutar e será um vencedor “

Guarda Mirim

“De militar para militar”. No militarismo são ensinados a disciplina, respeito e amor ao país e foram essas as características encontradas nesses pequenos guerreiros, que com pouca idade já aprenderam a apoiar o “irmão de farda”, em qualquer situação.

Em entrevista ao G1, o comandante da Guarda Mirim de Aparecida de Goiânia, inspetor Célio Dia, afirmou que ficou surpreso com a atitude: “Nós fomos pegos de surpresa, mas ficamos muito felizes com essa ação das crianças porque isso partiu deles. Isso é um ensinamento para nós. Nós devemos aprender com eles essa questão de companheirismo e amizade”.

“Como ele perdeu a mãe, decidimos de alguma forma confortar o coração dele, sendo nós a própria família dele. Gostei de fazer isso porque a gente ajudando o próximo, tenho certeza que o próximo depois vai nos ajudar. Me senti bastante confortável com isso”, Débora Cristina Moraes Nascimento, de 12 anos, relatou em entrevista a Tv Anhanguera.

Segundo a Prefeitura, Aparecida de Goiânia conta atualmente com 120 guardas mirins divididos entre crianças e adolescente, que passam suas tardes aprendendo noções cívicas, praticando esportes e fazendo aulas de reforço. “Os ensinamentos aprendidos durante o período que as crianças ficam na unidade os acompanham em toda a vida.”, diz o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha. “O Centro de Convivência da guarda mirim tem o papel auxiliar no ensino, disciplina e civilidade, proporcionando uma melhor qualidade de vida, e claro fazem com que se sintam uteis para população.”, ressaltou.

A ASSEGO apoia esse tipo de iniciativa pois acreditamos o militarismo só tema a acrescentar na vida dessas meninas e meninos e esperamos que futuramente eles ingressem nas nossas gloriosas corporações.

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.”

Provérbios 22:6